18 maio 17

Mudar de vida, retomar a carreira: desafios reais da mulher 

Mudar de vida, retomar a carreira: desafios reais da mulher 

Ser mulher, mãe e profissional. Às vezes nós desempenhamos tantos papéis que nos tornamos equilibristas da rotina. Somos absorvidas pelo tempo, todos os dias, e no fim deles, mal sobram minutos para nós mesmas. Já se sentiu assim? A designer de interiores Janaina Falcão vivia tudo isso em meio ao dia a dia corrido em São Paulo, como gerente de merchandising para a luxuosa brand Dior – foi como nos conhecemos.

Um belo dia, tudo mudou. O marido aceitou uma proposta de trabalho em Valinhos, e foi quando a maternidade foi possível, assim como um novo momento para sua carreira. Sua linda bebê nasceu e trouxe também novos desafios, além da retomada ao trabalho – coisas que afligem todas nós, mães. Veja nessa entrevista como ela encarou tudo e hoje é realizada. No fim, ela nos dá dicas preciosas sobre como tornar a casa mais sofisticada. Agora ela leva para os projetos de suas clientes todo o aprendizado que resulta de anos de trabalho com Decor e no merchandising da Dior.

Como era sua vida antes e depois de ir para o interior?

Nasci, cresci e fiz faculdade em São Paulo. Meu marido também. Viajávamos bastante a trabalho e falávamos de outras capitais onde gostaríamos de morar, mas nunca falamos do interior de São Paulo. Acho que é meio comum em quem sempre viveu em cidade grande e gosta dessa agitação, pensar em interior como algo meio provinciano e atrasado. Eu trabalhava na LVMH, como gerente de merchandising para a Dior nos cosméticos. Meu marido recebeu uma proposta de emprego e a proposta era boa, seria uma grande oportunidade profissional para ele. Primeiro ele mudou de emprego e ficou indo e voltando todos os dias. Morávamos na zona Oeste de São Paulo, bem pertinho da saída da Bandeirantes, o que fazia percurso bem mais fácil. Eu trabalhava na Vila Olímpia e lembro de muitas vezes sairmos os dois no mesmo horário do escritório e ele chegava em casa antes de mim. Eu ficava parada no trânsito. Neste período, conhecemos melhor a região e sua estrutura e vimos que não deve em nada (ou quase nada) a São Paulo. Mais de 9 meses depois de ida e volta, fizemos nossa mudança para Valinhos.

Smash the Cake (102)

Como foi a transição?

Sou formada em Administração de Empresas e fui estudar Design de Interiores quando comecei a trabalhar com mobiliário para a Dior. Sempre pensamos que seria legal se eu pudesse ter um trabalho meio período quando tivéssemos filhos, pelo menos enquanto são pequenos e assim, com a mudança, procurei investir na minha carreira como designer, pois no mundo corporativo é bem difícil encontrar posições de nível gerencial com regime de tempo de trabalho parcial. Antes disso, me dei uma pausa. Estava tentando engravidar há 6 anos e já estávamos inclusive considerando a adoção, que também é um processo demorado. Achei que uma mudança no estilo de vida faria diferença no resultado de minhas tentativas. E foi sucesso! Menos de 1 ano depois eu estava grávida e feliz da vida. Já estava também com alguns projetos como designer. Mas a vida me chamou para mais uma pausa: fui colocada em repouso absoluto da 22ª à 36ª semana de gestação, com risco de parto prematuro. Entendi o recado de que eu realmente teria que me dedicar àquela gestação se quisesse que tudo desse certo. E me dediquei. Não foi fácil, ainda mais para quem estava acostumada com uma vida completamente diferente. Deixo meu emprego e me vejo sem a necessidade de me arrumar para sair de casa todos os dias. Para alguns isso pode parecer o paraíso, mas eu digo: é horrível. E finalmente, quando eu já tinha me acostumado com tudo isso, acabo presa a uma cama por 4 meses! Santo Netflix e Facetime! No final, tudo valeu a pena.

O que você indica para quem está pensando em fazer o mesmo?

Como fiquei 4 meses fazendo 3 dias de home office por semana, comecei a aproveitar melhor o dia. Passeava com o cachorro sem pressa de manhã, porque era voltar pra casa, sentar na mesa e trabalhar! Não precisava sair correndo. Mas depois que fui em busca de projetos como autônoma, a rotina mudou bastante. Não tinha ocupação para o dia inteiro. E no interior, o tempo, de certa forma, sobra. Para quem está pensando em se aventurar no interior, digo sempre que vale a pena. Mas escolha bem que tipo de interior você quer. Aquele bem pequeno, bem recluso e para o qual você terá de estar realmente preparado, ou aquele mais estruturado, onde você vai sentir menos o choque. Saiba que cada um tem vantagens e desvantagens, mas no modo geral, conseguimos aproveitar melhor a vida quando o tempo não é quase todo consumido no trânsito de São Paulo.

Como é morar no interior, para quem já viveu na capital? Do que te dá saudade, e do que não tem saudade alguma?

A gente se adapta. É bem mais fácil do que imaginei. O que dá saudade mesmo, para mim, é sair a pé. Porque no meu caso, vim morar em condomínio fechado e tudo aqui é feito de carro e onde eu morava em São Paulo conseguia resolver muita coisa perto de casa a pé. No mais, a família e os amigos que estão longe. E a Ofner… aqui não tem onde comer coxinha boa assim.

E essa retomada à carreira, quais os maiores desafios? O que aconselha para as mulheres que estão nessa fase?

No meu caso, que estou voltando num escopo totalmente diferente do que eu fazia antes, o desafio é duplo. Você não é mais a mesma pessoa. Antes eu tinha total liberdade para chegar tarde em casa, comer qualquer coisa na rua se fosse preciso e podia chegar em casa e ir direto pra cama. Mas com minha filha eu tenho hora para voltar, tenho sempre que pensar se tem comida, não qualquer comida, mas saudável e fresca em casa. E chegando em casa tem toda uma rotina para cumprir: dar o jantar, banho, colocar na cama.

Por fim, você sempre trabalhou com decoração. O que considera uma casa luxuosa?

Sim, com exposição de produtos e ambientação para eventos e uma coisa que a marca era bastante exigente eram os detalhes. É aí que se nota a diferença entre um produto comum e um produto de luxo. Uma casa luxuosa é aquela onde se deu atenção aos detalhes. Onde cada coisa tem o seu lugar, tudo foi pensado e tem um propósito. Pode-se fazer um paralelo com roupas de marcas de luxo, onde o acabamento é impecável, o tecido é escolhido com critério para dar o melhor caimento à peça, até a etiqueta é cuidadosamente colocada e a embalagem é diferenciada. E tanto faz se é uma roupa esportiva ou um vestido de festa. Na decoração sendo um estilo clássico ou contemporâneo, o acabamento e o rigor na escolha dos detalhes fará a diferença no final.

4 Segredos de Janaina para tornar uma casa mais chic.

1 – Sua casa tem que ter a sua cara, tem que combinar com seu estilo de vida

2 – É importante que o ambiente dê sensação de aconchego

3 – Evite excessos. Tudo que é demais cansa. E manter arrumada uma casa cheia de coisas é bem difícil. A maior chance é que decoração acabe se confundindo com objetos do dia a dia e tudo vire uma coisa só. Vale o famoso “menos é mais”.

4 – Você não precisa ter uma coleção de peças caras, mas uma ou outra com mais personalidade já mostram que você se preocupa com isso. Tudo bem se você não puder reformar toda a sala ou comprar um sofá exclusivo, mas invista em almofadas diferentes (não muitas) ou uma manta bem bonita. Muitas vezes um tratamento diferente na parede já ajuda a mudar a cara da casa, como um papel de parede, revestimentos 3D ou mesmo uma cor mais ousada.

Espero que a história de Janaína inspire as mães modernas que estão sempre por aqui.

Beijos.

Mudar de vida, retomar a carreira: desafios reais da mulher 
4.2 (84%) 5 votes

Comentários

  • Parabéns Janaina pela sábia decisão. É bem vinda de volta ao mundo corporativo, mas, do seu jeito.

    Por Ana 18 maio 17

  • Parabéns pela matéria e por experiência própria posso afirmar que esta foi a melhor escolha. As vezes nos dedicamos tanto a vida executiva que deixamos de dar valor a vida. É nítida a alegria que vemos nesses lindos olhares!
    Rosana Almeida- ex administradora na LVMH

    Por Rosana 19 maio 17

DEIXE UM COMENTÁRIO

A Arte em frascos de Perfume
Anasuil Foto

Por vezes ouvi que sou muito criativa e visionária no universo da perfumaria, no qual tenho mais de 30 anos de experiência. Hoje, estou à frente da marca própria AnaSuil e continuo à frente das lojas Suil, Vent Vert e Calèche. Neste blog trago os temas de perfumes, casa, beleza, detalhes, lançamentos, clássicos e experiências. Tudo sob o olhar atento das mulheres 50 Bem +, um mundo do qual me orgulho por fazer parte. Espero ter você aqui comigo sempre!

Anasuil

São Paulo | Brazil